(-288): Revolucione

Revolução é como chamamos a um dado processo no qual se há uma transformação radical, veloz e definitiva em um determinado panorama, motivado pela necessidade de evoluir rapidamente.
Mas muita gente superestima o termo relacionando-o sempre a um movimento de transformação coletiva, popular ou ainda nacional ou internacional. A verdade é que é possível revolucionarmos coisas menores, ao nosso alcance, de forma tão ou até mais importantes para nossas vidas do que as grandes revoluções que marcaram a história da humanidade e que influenciaram o modo de vida que temos hoje. Pois ao dar início a uma revolução pessoal, estará iniciando também um ciclo virtuoso de modelo e repetição ao qual impulsionaria uma reação em cadeia de novas revoluções pessoais, a ponto de essas novas atitudes alimentem um desejo coletivo de mudança.
Para revolucionar é preciso estabelecer novos paradigmas e seguí-los, e estes devem romper com os atuais, propondo algo novo e inovador, que seja melhor que as convenções correntes. Também é preciso uma linha de raciocínio coerente e opiniões firmes, mas não alheias à realidade, e sim, sincronizadas com elas, por meio do debate e da crítica. O confronto franco das ideias possibilita o seu entendimento e a correção de possíveis desvios, que poderiam culminar em má-interpretação ou na irrelevância de seus objetivos. Essas são as bases de um espírito revolucionário, e para fazê-lo crescer em nós, basta ter vontade de mudar e não temer os novos ventos da mudança.
Revolucionar-se pode ser feito por ações simples, a princípio, com pequenas mudanças de hábitos, que ganhariam significância nas etapas seguintes de sua mudança. Mas essa mudança deve vir de dentro para fora, começando pelo desejo de mudar, passando pela motivação e por fim, a ação. Os resultados virão naturalmente, sem pressa e sua auto-estima avançará de forma a incentivá-lo a atingir metas mais elevadas.
Revolucionar-se é um exercício de transformação, capaz de tornar as pessoas em exemplos de vitórias a serem seguidas pelas outras ao seu redor.

Autor: Kazzttor

André Arruda dos Santos Silva, ou Kazzttor, é paulistano. Oriundo de família humilde, mas trabalhadora, viveu seus primeiros anos de sua infância no bairro do Ipiranga, cidade de São Paulo, e em seguida, mudou-se com sua família para Diadema, município vizinho, onde vive até hoje. Ativista, blogueiro, professor de informática, amante de tecnologia, esportes e artes, André procura em suas manifestações intelectuais escritas em seus blogs ou nas organizações as quais faz parte, mostrar um jeito mais humano, irreverente e diferente de ver e entender o mundo. Atualmente é universitário, bancário, participante de atividades sindicais, políticas e ideológicas, sempre tendo como objetivo buscar nos princípios éticos e de respeito mútuo a chave de uma sociedade mais harmônica e humanamente sustentável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s