Kazzttor – 25 anos + 5

Há 25 anos, ou precisamente em 25 de outubro de 1981, em São Paulo, nascia André Arruda dos Santos Silva. Nestes 25 anos vivenciou mudanças profundas no meio onde vive. Só ao seu redor viu nascer (e morrer) seis moedas diferentes: Cruzeiro-Novo, Cruzado (1986), Cruzado-Novo (1989), Cruzeiro (1990), Cruzeiro-Real (1993) e Real (1994). E viu seu país governado por, também seis, presidentes diferentes: Figueiredo (1978-1985), Sarney (1985-1990), Collor (1990-1992), Itamar Franco (1993-1994), FHC (1995-2002) e Lula (2002- ). Sob seus olhos se viu desde revoluções históricas, como a queda do muro de Berlim, a Luta pelas diretas e o impeachment de Collor, até momentos vergonhosos como o massacre da praça da Paz celestial em Pequim (1988), os escândalos de corrupção (1994 com os anões do orçamento e 2005 com o mensalão e os sanguessugas), o massacre do Carandiru (1992), a violência na Favela Naval (1999), os massacres de Eldorado do Carajás, do Índio Gaudino, de Vigário Geral. Ouviu de Luiz Gonzaga a Falamansa. De Frenéticas a Global Deejays. De Legião a CPM 22. De Ndee Naldinho a Sabotage. Viu do êxtase do Penta, ao caos do PCC. Da tristeza causada pela morte de Senna, em contraste da alegria do Tetra, 2 meses depois (1994). Viu o golpe da Globo no debate de 89 a favor de Collor, e viu a mesma Globo ajudar a derrubar o mesmo Collor, dois anos depois. Viu o renascimento no nosso teatro e do nosso cinema e viu o país manifestar sua cultura, não só com o carnaval, mas através de outras manifestações culturais.
Pelo visto entre 1981 e 2006 muita coisa mudou. É muita história para contar. Espero que daqui a 25 anos eu possa estar aqui, rindo do que escrevi hoje. E comentando como foram os 25 anos seguintes.
Há vinte e cinco anos eu nasci. Um quarto de século! Quanto tempo…
(publicado em 25 de outubro de 2006 no Blog do Kazzttor)

De lá pra cá 5 anos se passaram e a vida pareceu decolar como em uma exponencial. Saí de uma zona de conforto e entrei em turbulência em 2008, e de lá para uma dupla glória em 2009. Conhecer e viver são características que cultivei desde sempre e parece que nestes últimos anos venho colhendo os frutos. “Procuramos independência, acreditamos na distância entre nós…” – esse trecho da música do Capital Inicial parece fazer parte de meu caráter. A eterna busca da liberdade e da justiça ainda incendeiam um coração jovem em um corpo que envelhece.

Mas parece que passei a vivenciar mais as coisas que defendia e passei da teoria à prática. As redes sociais fortaleceram minha interação com o mundo e mostraram a mim que é preciso deixar de ser espectador para agir em prol de virtudes. A arte ficou à parte, mas a atitude mudou. Menos sarcástico e mais crítico, mas mantendo o humor e o otimismo diante da vida.

Há quem diga que sou palhaço, disperso, moleque, mas astuto, íntegro, culto. O que importa é viver intensamente cada segundo, paradoxalmente como o primeiro e o último.

Observem o texto de agora e o de 5 anos atrás e vejam como as coisas mudaram. Escrevia bem para que os outros lessem. Agora escrevo para mostrar quem sou. Nada de terceira pessoa – agora é identidade, ponto de vista, eu no comando. Pois já está na hora de assumirmos o controle de nossas vidas. Deixar as coisas no piloto automático não compensa. Corre-se riscos para obter conquistas. Não há mérito sem esforço. E me esforço por isso.

Sei que escrevi há cinco anos um texto para registrar minha visão da história, mas não a minha história na visão. Como em uma imagem no espelho escrevo minha vida em reverso.

Sou fatecano, bancário, sindicalista, grevista e ativista. Atuo nas redes sociais, escrevo em blogs, twitter, facebook. Participei de atos contra a corrupção, homofobia. Solteiro, sem filhos, mas com um coração grande e amoroso. Ministro aulas de informática na Microcamp. Tentei por duas vezes terminar uma faculdade, antes da FATEC. Trabalhei por 7 anos na Fidelity, 6 meses no IBGE. Fiz teatro, fui premiado, já atuei em peça de cartaz. Cantei na igreja e gravei CD. Fiz na ETEC Getúlio Vargas o ensino médio e o curso técnico de eletrônica. Estudei o ensino fundamental no SESI desde a terceira série (que fiz duas vezes, apesar de não ter repetido de ano uma vez sequer). Fiz os três primeiros anos do ensino fundamental no EEPG Prof. Lívio Marcos Guercia. Sou corinthiano desde 1988. Sou diademense de morada desde 1986. Morei 5 anos no Ipiranga. Nasci em 25 de outubro de 1981, há exatos 30 anos.

Este sou eu, uma Metamorfose Ambulante desde que nasci.

Autor: Kazzttor

André Arruda dos Santos Silva, ou Kazzttor, é paulistano. Oriundo de família humilde, mas trabalhadora, viveu seus primeiros anos de sua infância no bairro do Ipiranga, cidade de São Paulo, e em seguida, mudou-se com sua família para Diadema, município vizinho, onde vive até hoje. Ativista, blogueiro, professor de informática, amante de tecnologia, esportes e artes, André procura em suas manifestações intelectuais escritas em seus blogs ou nas organizações as quais faz parte, mostrar um jeito mais humano, irreverente e diferente de ver e entender o mundo. Atualmente é universitário, bancário, participante de atividades sindicais, políticas e ideológicas, sempre tendo como objetivo buscar nos princípios éticos e de respeito mútuo a chave de uma sociedade mais harmônica e humanamente sustentável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s