Perdi uma aula de futebol

Caros amigos,

Infelizmente não pude conferir uma aula de futebol. Resolvi aproveitar uma convidativa noite quente de sábado para me divertir e, cansado, não pude ver a final do Mundial de Clubes entre Santos e Barcelona, onde o clube catalão aplicou uma impiedosa goleada de 4 a 0 no clube santista.

Gostaria que o Santos tivesse ganho, mas o Barcelona é uma equipe de outro mundo, está em outro patamar. Isso serve de lição a muitos cartolas brasileiros que acham que montar um timaço é lotar um elenco de craques. É muito mais que isso. É preparar, focar no objetivo, traçar um esquema tático ideal e se esforçar ao máximo diuturnamente. Veja: vocês viram algum escândalo envolvendo algum jogador do Barcelona? Parece haver uma disciplina muito grande por lá, pois certamente acreditam que, para dar espetáculo, é preciso entrega total ao ofício, tirando aquilo que atrapalha. Que tal alguns jogadores começarem a pensar nisso? Que aparecer fora dos gramados mais do que dentro deles é prejudicial a eles mesmos? Que baladas, orgias e festanças caras não ganham títulos? Hora de pensar em se aparecer menos e jogar mais e para o time em que está jogando.

Vejam o melhor jogador desse time: Leonel Messi, autor de dois golaços hoje. Enquanto Neymar dava entrevistas a todos, Messi ficou recluso, concentrado, encarando aquele jogo como o jogo da vida. Neymar é jovem e ainda vai por o Messi no bolso, mas agora é preciso tê-lo como exemplo. Aliás, 90% dos jogadores brasileiros precisam buscar ter esse mesmo comportamento nos momentos decisivos que ele, que será novamente o melhor jogador do mundo.

O futebol brasileiro passa por um momento ruim, isto é fato. Já escrevi isso aqui antes e torno a repetir. Enquanto esses malandros da bola (empresários, cartolas, marqueteiros, Marias-chuteiras) continuarem parasitando nosso futebol, ele continuará tendendo à decadência. Hora de acordar, pois o futebol já não é mais aquele de 40, 50 anos atrás, e ainda tem gente que se ilude com isso.

Há um conceito especulativo que diz que o histórico não traduz tendência, ou seja, que o passado não revela o futuro. Assim, não podemos nos agarrar a tradições para determinar o futebol brasileiro como o melhor do mundo. Se assim o fosse, o campeonato brasileiro teria o mesmo destaque na mídia esportiva internacional que os campeonatos italiano, espanhol e inglês. Não o tem por incompetência, por falta de credibilidade, por viradas de mesa, por falcatruas. Enquanto isso, centenas de jogadores deixam o país para garimpar dinheiro com a bola nos pés.

Hora de aprender o futebol do Barcelona, não apenas nos gramados, mas fora deles. Quem sabe um dia não teremos um timaço igual ao de Messi disputando um brasileirão para o mundo inteiro ver?

Autor: Kazzttor

André Arruda dos Santos Silva, ou Kazzttor, é paulistano. Oriundo de família humilde, mas trabalhadora, viveu seus primeiros anos de sua infância no bairro do Ipiranga, cidade de São Paulo, e em seguida, mudou-se com sua família para Diadema, município vizinho, onde vive até hoje. Ativista, blogueiro, professor de informática, amante de tecnologia, esportes e artes, André procura em suas manifestações intelectuais escritas em seus blogs ou nas organizações as quais faz parte, mostrar um jeito mais humano, irreverente e diferente de ver e entender o mundo. Atualmente é universitário, bancário, participante de atividades sindicais, políticas e ideológicas, sempre tendo como objetivo buscar nos princípios éticos e de respeito mútuo a chave de uma sociedade mais harmônica e humanamente sustentável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s