O conto do cartão de crédito

Os bancos descobriram uma forma absolutamente rentável de engordar ainda mais seus lucros: o cartão de crédito.

A última de alguns bancos é simplesmente bloquear transações em reais de transações no exterior, como o iTunes, Facebook, Google Play, Xbox, Windows Phone, etc. E se a razão que eles alegam é a segurança, engana-se, amigo incauto. A forma de cobrança de transações em moeda estrangeira obedece a um ritual, que em transações em real não ocorre.

Quando você compra em dólar, é calculada a cotação três vezes: quando autoriza a compra (no dia que você faz a transação), quando fecha a fatura, e quando você paga a fatura. Quando a fatura fecha, é cobrada a variação do câmbio entre o dia da compra e o fechamento, e quando você paga, é cobrada uma nova variação com o valor do câmbio no dia em que você pagou a fatura, sempre com cobrança na fatura seguinte. Com o câmbio flutuante e a atual conjuntura econômica, a tendência é de valorização do dólar e assim, sempre haverá um valor a pagar. A loja já recebeu o dinheiro da compra, mas o banco continua cobrando, daí o lucro.

Entre outras estratégias dos bancos sobre o cartão, está a de supervalorizar o limite do cliente, com valores de limites valendo o dobro, ou o triplo de sua renda. Com o descontrole financeiro, o cliente acaba entrando no crédito rotativo com taxas de agiotagem: entre 8 e 16% ao mês! E assim a dívida do cartão vira uma bola de neve a ponto de se tornar impagável.

Tem algumas sacanagens de alguns bancos também. O Itaú, por exemplo, cobra os juros do rotativo a partir da data da compra em seu Itaucard 2.0. O Santander faz reanálise de crédito do cartão sem consultar o cliente e cobra uma taxa absurda. O Banco do Brasil cortou programas de isenção de anuidade atreladas ao uso de produtos e serviços há cerca de 3 anos, e mudou o cálculo do pagamento mínimo, fazendo com que pagamentos de títulos, parcelas de faturas, e compras parceladas com juros do banco sejam integralmente incluídas no pagamento mínimo.

O cartão de crédito é a punhalada traiçoeira dos bancos contra seus clientes. Fiquem espertos, controlem os gastos do cartão e prefiram pagar a fatura cheia.

Autor: Kazzttor

André Arruda dos Santos Silva, ou Kazzttor, é paulistano. Oriundo de família humilde, mas trabalhadora, viveu seus primeiros anos de sua infância no bairro do Ipiranga, cidade de São Paulo, e em seguida, mudou-se com sua família para Diadema, município vizinho, onde vive até hoje. Ativista, blogueiro, professor de informática, amante de tecnologia, esportes e artes, André procura em suas manifestações intelectuais escritas em seus blogs ou nas organizações as quais faz parte, mostrar um jeito mais humano, irreverente e diferente de ver e entender o mundo. Atualmente é universitário, bancário, participante de atividades sindicais, políticas e ideológicas, sempre tendo como objetivo buscar nos princípios éticos e de respeito mútuo a chave de uma sociedade mais harmônica e humanamente sustentável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s